ESTRAGO DA NAÇÃO

4/28/2009

Refazer contas

A ideia de que o desenvolvimento de uma sociedade assenta apenas no crescimento económico em contínuo levou à situação de crise mundial que hoje vivemos. A situação encontra paralelo com todos os estudos para ampliação de infra-estruturas como auto-estradas e aeroportos com base em projecções de crescimento contínuo, o que não é verdade. Ainda na semana passada estive num workshop em que, para surpresa de muitos, se constatava que afinal o fluxo de turistas em Portugal, ao contrário das expectativas da década passada, não tinham crescido. Tinham estagnado.

Por isso, quando o Governo insiste na necessidade do novo aeroporto de Lisboa por o actual estar lotado dentro de alguns anos - e apresenta mesmo supostos estudos para sustentar essa tese -, está apenas a brincar com o nosso dinheiro. Basta ver que, por exemplo, num horizonte muito próximo - ou seja, no início deste ano -, certamente a TAP não imaginaria que teria de cancelar mais de nove mil voos ao longo deste ano, o que significará uma redução de cerca de 3% do total. Convinha, por isso, não confiar em números que são meros exercícios para justificar obra e que estão longe de serem reais.

Etiquetas: ,

1 Comentários:

Blogger José disse...

Olá,

Aproveito não para falar do aeroporto, mas sim do TGV - já agora questiono porquê o TGV e não uma tecnologia mais moderna, afinal o TGV já vem dos anos 70, salvo erro - eu sou a favor de um sistema ferroviário com comboios rápidos. Mas não apenas para ligar as principais cidades.
Este sistema deveria de funcionar para descentralizar os polos económicos e trazer o desenvolvimento a todo o país.
Agora uma coisa é certa, antes do TGV e de outros investimento, dever-se-ia instaurar o ensino OBRIGATÓRIO e com CONDIÇÕES.
Também a saúde deveria de ter prioridade.
Só com um povo saudável e instruído poderemos ter uma sociedade harmoniosa.
Mas tal não convém, não é assim ?
Tal como alguém disse : há que manter o povo com fome, pois não convém que tenha tempo para pensar, ou algo do género.

Cummprimentos,

José

30/04/09, 21:25  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial