ESTRAGO DA NAÇÃO

6/27/2005

Memória de Elefante I

«Portugal consome pouco cimento», in O Século Ilustrado (25 de Julho de 1970)

Artigo que salienta que Portugal é o país da Europa com mais baixa produção e consumo de cimento, embora tenha triplicado esse rácio nos últimos 20 anos, acrescentando que um dos motivos se deve ao fraco dinamismo na construção de infra-estruturas, como auto-estradas. O artigo recorda que a primeira fábrica existente em Portugal para o fabrico do cimento foi inaugurada em 1866, com sede em Alcântara, em Lisboa, sendo depois obrigada a fechar devido à concorrência e à má qualidade do cimento. O artigo refere ainda que as actuais fábricas de cimento tornam a «vida das populações circunvizinhas particularmente ingrata», uma vez que «toda a paisagem se transforma e uniformiza pelo cair constante da poeira branca que o vento arrasta», a que acresce o ruído das explosões nas pedreiras e das pedras nas britadeiras, bem como do ruído mecânico dos moinhos.

Nota: Estando actualmente a editar as sínteses de notícias de ambiente para o projecto ECOLINE, do Instituto de Ciências Sociais (coordenado pela Luísa Schmidt), que abrange artigos de orgãos comunicação social entre 1900 e 2000, vou começar a colocar aqui alguns casos curiosos que mostram como Portugal se foi modificando. Já agora, estes conteúdo estarão disponíveis on-line a partir do final deste ano.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial