ESTRAGO DA NAÇÃO

11/24/2006

Carmona vs. interesse público

Governantes e autarcas são eleitos, presume-se, para defender o interesse público. Nem sempre assim acontece e, sobretudo no caso da construção civil, sabe-se que a esmagadora maioria dos políticos não só alimenta a especulação como permite imoralmente que empresários do sector imobiliário saquem mais-valias à custa da degradação da qualidade de vida das populações.

Porém, pior ainda é quando ocorrem situações como as da aprovação de um empreendimento imobiliário para a zona de Marvila pela autarquia de Lisboa que provavelmente estará na zona de servidão do TGV e da eventual terceira ponte sobre o Tejo. Carmona Rodrigues e os vereadores do PSD (e até a vereadora do CDS-PP, Maria José Nogueira Pinto, que se absteve, funcionado, na prática, como voto favorável) sabiam que a aprovação deste loteamento arrisca a que o Estado venha a pagar uma indemnização superior a 60 milhões de euros - que, obviamente, serão pagos pelos contribuintes.

Por isso, é legítimo perguntar: que tipo de interesses anda Carmona Rodrigues e os seus vereadores do PSD a defender? Os dos munícipes de Lisboa e dos contribuintes portugueses não serão, certamente...

3 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Comentário certeiro, na mouche! E assim tenderá a ser até que se aplique sobre os autarcas e quejandos, o Direito de Regresso.

Alguma vez será a primeira, talvez seja esta.

jc

24/11/06, 13:28  
Blogger Mário da Silva disse...

Ah! Mas é que existem os criminosos e os outros.

Quanto ao Direito acho complicado. Isto está cada dia mais podre.

Até mais.

06/12/06, 12:30  
Blogger Mário da Silva disse...

Já agora, e ainda sobre o Direito de Regresso, este artigo quase que me tira as palavras da boca.

06/12/06, 12:38  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial