ESTRAGO DA NAÇÃO

10/19/2005

Farpas Verdes CDXIV

Nos manuais da política (ou da politiquice) ensina-se que se deve criar um facto político mediático para desviar a atenção de uma polémica real. Perante um Orçamento de Estado que não consegue explicar tantos cortes orçamentais, tanto agravamento de impostos e simultaneamente a insistência em projectos megalómanos como o aeroporto da Ota e do TGV, o primeiro-ministro José Sócrates veio «anunciar» que a co-incineração de resíduos perigosos é para avançar. Este anúncio é perfeitamente extemporâneo e apenas vai criar ruído num processo que está inquinado. Sócrates sabe que jamais conseguirá fazer co-incineração em Souselas e no Outão, mas convém-lhe, por agora, criar uma «batalha» para ocupar a comunicação social com outras coisas que não seja o Orlamento de Estado.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial