ESTRAGO DA NAÇÃO

7/01/2005

Farpas Verdes CCXLV

Tendo em conta que o Governo Sócrates anunciou e iniciou uma cruzada para a contenção da despesa pública, julgo oportuno relembrar a criação de um «monstro» empresarial chamado Águas de Portugal, cujos «pais» são exactamente o primeiro-ministro, José Sócrates, então ministro do Ambiente, e o actual ministro das Obras Pública, Mário Lino, então presidente da «holding».

Convém, antes de mais, esclarecer que a empresarialização foi um meio (talvez o único) de começar a resolver o gravissímo problema do saneamento básico do país que à conta das autarquias levava o país a ser, resumidamente, uma imunda lixeira que distribuía à população água cheia de esgotos. No entanto, os meios para chegar a um fim nobre é que são contestáveis. Ao longo dos anos, em vez de se criar uma estrutura que permitisse sinergias e economias de escala, a «holding» Águas de Portugal foi crescendo como um polvo, de modo que hoje temos à «sombra», o seguinte conjunto:

  • 18 concessionárias de sistemas multimunicipais de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais (9 são sistemas integrados de água e de saneamento);
  • 14 concessionárias de sistemas multimunicipais de tratamento e valorização de RSU;
  • 11 concessionárias de sistemas municipais de abastecimento de água e saneamento;
  • 9 empresas na área dos resíduos sólidos industriais e fluxos especiais de resíduos;
  • 2 empresas com intervenção noutras áreas de negócio;
  • 7 empresas nos mercados internacionais

Ou seja, no total, são 63 empresas, cada uma das quais com um conselho de administração constituída por entre 3 e 5 elementos, alguns acumulando cargos em várias empresas. Em muitos casos, também temos autarcas nos conselhos de administração. Em 2001, quando fiz uma investigação para o Expresso sobre o universo empresarial das autarquias foi complicadíssimos saber os dados completos destas empresas - a «holding» recusou mesmo depois de um parecer da CADA -, mas deu para detectar alguns desperdícios (p. ex.,, recordo-me que na SIMRIA havia três administradores para uma dúzia de funcionários). Existem, além disso, situações peculiares e aberrantes (p. ex., parte da água captada pela EPAL é vendida à sua «irmã» Águas do Oeste que, por sua vez, vende ao consumidores). Não estarei a exagerar se disser - tendo em conta que, por exemplo, a administração da EPAL nos custa 5 milhões de euros por ano - que só em administradores, este grupo custa, pelo menos, 200 milhões de euros por ano.

Além disso, é uma «holding» muito sui generis: apesar de ter apresentado um lucro em 2004 de 12,9 milhões de euros - o melhor resultado de sempre - foi feita à «custa» dos lucros da EPAL (26 milhões de euros), o que significa que são os clientes da EPAL que estão a suportar esta «holding» de 67 empresas. Sem a EPAL, a Águas de Portugal apresenta sim um prejuízo de 13,1 milhões de euros.

Eu sei que houve razões politico-autárquicas para esta desmultiplicação de empresas levada ao extremo, mas num período de contenção, talvez fosse razoável pensar numa reformulação desta estrutura, a começar pela supressão de algumas empresas (cuja área de intervenção passaria para outra) e a fusão algumas empresas de base regional, além da integração da componente água-resíduos em algumas regiões.
Águas de PortugalADP InternacionalÁguas do BrasilEBALElectraAquatecÁguas de MoçambiqueÁguas do Norte AlentejanoPROLAGOSClube de Golf das AmoreirasAmbelisÁguas de Portugal Timor LesteÁguas do Minho e LimaÁguas de Trás os Montes e Alto DouroÁguas do Cávado SAÁguas do CentroSIMRIASIMLISÁguas do MondegoÁguas do OesteEPALÁguas do AlgarveÁguas de Santo AndréSimarsulSimTejoÁguas do Centro AlentejoReciclamasAquaporÁguas do SadoÁguas do LenaÁguas do PlanaltoÁguas do VougaÁguas da TejaTrataveLuságuaSanestREGIAÁguas de AlenquerÁguas de GondomarReciPneuReciGroupÁguas da Figueira SASOCERRIBTEJOEcoMetrisREBATAmarSulÁguas de Portugal ServiçosÁgua do Zêzere e CôaÁguas de CascaisReciPavÁguas de Portugal FormaçãoResidouroRESATValorMinhoEGFResuLimavalorsulAlgarValnorResiOesteSulDouroValorlisErsucAquasisÁguas do Douro e Paiva SAÁguas do Ave

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial