ESTRAGO DA NAÇÃO

8/25/2005

Farpas Verdes CCLXXIX

Paulo Morais, vice-presidente da autarquia do Porto, pôs a boca no trombone para dizer aquilo que todos nós sabemos: o sector do urbanismo é onde se fazem os jogos de corrupção e de financiamento (ilegal) dos partidos (vd. aqui). Dir-me-ão que é corajoso. Eu não vou tão longe: julgo que haveria sim coragem se ele, sabendo-o por ter sido aliciado, denunciasse nomes ao Ministério Público. Não o tendo feito, ficamos na mesma...

P.S. A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou, entretanto, que vai investigar as declarações de Paulo Morais. Acho bem, mas desconfio que não vai dar em nada. Se a PGR espera que ele vá dar nomes agora, desengane-se; ele não o fará. E, neste caso, deverá sim processá-lo. Aquilo que a PGR deveria fazer não era aguardar por denúncias de políticos, mas sim estar atento a alguns (muitos) dos estranhos projectos imobiliários que ocorrem por este país inteiro. E investigá-los a fundo, coisa que raramente fez até hoje...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial