ESTRAGO DA NAÇÃO

3/12/2004

Farpas Verdes XLIV

Deliciosa a notícia que relata ter sido uma urbanização da EPUL embargada pela Câmara Municipal de Lisboa por estar a ser feita sem a devida licença camarária. Se se recordam, a EPUL é uma empresa municipal. Santana Lopes criticou, sem contemplações (e com justiça) o anterior presidente João Soares de conceder autorizações verbais quando lhe solicitadas. E garantia que com ele, tal coisa não aconteceria.

No caso em apreço, a empresa municipal nem se incomodou com isso. Portanto, só me lembro de dois ditados populares para este caso: «Pela boca morre o peixe» e «em casa de ferreiro, espeto de pau».

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial