ESTRAGO DA NAÇÃO

2/23/2004

Farpas Verdes XXIX

Chamam-me agora a atenção que, no início de Fevereiro último, José Eduardo Martins, secretário de Estado do Ambiente, teve a seguinte reacção às críticas da associação Corema sobre extracções no rio Minho: "Não vou atrás de um qualquer pateta que diz uma atoarda e não vou entrar numa discussão com esse patamar de ignorância".

Recordo-me de José Eduardo Martins quando era deputado da oposição: não sabia nem o abecedário do ambiente. Como o PSD "secou" e "marginalizou" todos as suas mais-valias - não há desculpa para que este partido não queira, porque se calhar não interessa aos seus "negócios", aproveitar Carlos Pimenta e toda a sua mística e experiência -, José Eduardo Martins foi naturalmente colocado no posto de secretário de Estado do Ambiente quando o PSD venceu as eleições legislativas. E se isso ocorreu não foi certamente por ser um especialista e/ou político conceituado em matérias ambientais...

José Eduardo Martins pode até ter, desde que assumiu o cargo de secretário de Estado, aprendido bastante sobre ambiente. Estou longe de o considerar pateta, acusá-lo de mandar atoardas e nem me importo de descer os degraus que sejam necessários para, em qualquer patamar, apresentar e dirimir argumentos.

Talvez aquilo que o secretário de Estado não tenha ainda aprendido são as regras de convivência democrática e de boa educação, que deve ser apanágio, em especial, dos nossos governantes. E se, de facto, até julga que há patetas no ambiente, que lançam atoardas e, portanto, são ignorantes, talvez a culpa também seja dele. Afinal, não existe uma centelha sequer de aposta na educação ambiental por parte deste Governo.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial